sexta-feira, 8 de abril de 2016

Um infinitivo muito pessoal

É um dos ícones linguísticos do português, do galego, do portugalego: infinitivo flexionado, conjugado, ou pessoal. Enquanto noutras línguas o infinitivo é qualquer coisa de aborrecido, em português o tempo humaniza-se, incorporando terminações, como outros tempos verbais. Flexionar os infinitivos é como conseguir que as pedras falem. Vamos então ouvir as pedrinhas falarem!

Reparei hoje nas aulas que havia alguma dificuldade com este tempo tão versátil. Deixo-vos cá uma atividade que também podem fazer na Aula Virtual (Exercícios: infinitivo pessoal).

É conveniente que eles escrevam > É conveniente [eles escreverem]

No caso de "eu", "ele", "ela" ou "você" incluir o sujeito antes do infinitivo ajuda a esclarecer:

Ela esperou até eu chegar / Eu esperei até ela chegar / Vou esperar até você chegar

Convém reparares bem no tipo de palavras que costumam preceder um infinitivo: preposições, é bom, é convenientes, antes de, depois de, etc. Repara que não costuma haver um "que" antes do infinitivo:

Não quer vir a casa porque é tímida > Não quer a casa por ela ser tímida.

Por último, repara no verbo pedir e no verbo dizer:

Ele pediu-me que viesse > ele pediu-me [para eu vir]

Ele disse-me que viesse > ele disse-me [para eu vir]

* O segundo uso, de dizer, nomeadamente, é bastante coloquial, mas é bom ficarem a saber.

Transforma as frases com verbo flexionado em frases com infinitivo pessoal.

1. Convém que (vocês) escrevam muito até à data do teste > Convém vocês (1 palavra) _______ muito até à data do teste.

2. Poucas pessoas viajam à Islândia pelo facto de que os voos são caros > Poucas pessoas viajam à Islândia pelo facto de (3 palavras) ____________ caros.

3. Escreveu uma carta para que elas lessem > Escreveu uma carta para (2 palavras) ____________

4. Pediu-me que fosse com ela ao cinema > Pediu-me para (2 palavras) ________ com ela ao cinema.

5. Espero na estação de camionagem até que vocês cheguem > Espero na estação de camionagem (3 palavras) _______________

6. Compraram-nos vários livros para que léssemos > Compraram-nos vários livros para (2 palavras) _____________

7. É conveniente que ela não se esqueça de entregar os documentos > É conveniente (4 palavras) _______________ de entregar os documentos

8. Apesar de que são um bocado lentos, adoro os filmes de Manoel de Oliveira > (3 palavras) ______________ um bocado lentos, adoro os filmes de Manoel de Oliveira
9. Quero acabar o trabalho antes de que os convidados cheguem > Quero acabar o trabalho antes de (3 palavras) ___________________________

  1. No caso de que queiram mais informações, escrevam > No caso de (1 palavra) __________ mais informações, escrevam.
[Agradeço que deixem um comentário caso detetem alguma imprecisão ou gralha no texto]

CHAVE

1. Convém que (vocês) escrevam muito até à data do teste > Convém vocês (1 palavra) [escreverem] muito até à data do teste.

2. Poucas pessoas viajam à Islândia pelo facto de que os voos são caros > Poucas pessoas viajam à Islândia pelo facto de (3 palavras) [os voos serem] caros.

3. Escreveu uma carta para que elas lessem > Escreveu uma carta para (2 palavras) [elas lerem]

4. Pediu-me que fosse com ela ao cinema > Pediu-me para (2 palavras) [eu ir] com ela ao cinema.

5. Espero na estação de camionagem até que vocês cheguem > Espero na estação de camionagem (3 palavras) [até vocês chegarem]

6. Compraram-nos vários livros para que léssemos > Compraram-nos vários livros para (2 palavras) [nós lermos]

7. É conveniente que ela não se esqueça de entregar os documentos > É conveniente (4 palavras) [ela não se esquecer] de entregar os documentos

8. Apesar de que são um bocado lentos, adoro os filmes de Manoel de Oliveira > (3 palavras) [apesar de serem] um bocado lentos, adoro os filmes de Manoel de Oliveira

9. Quero acabar o trabalho antes de que os convidados cheguem > Quero acabar o trabalho antes de (3 palavras) [os convidados chegarem]

10. No caso de que queiram mais informações, escrevam > No caso de (1 palavra) [quererem] mais informações, escrevam.

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

O MEU QUARTO NA ADOLESCÊNCIA


A tarefa que se pediu era bem simples: falar do quarto da infância. Eis o texto de uma estudante da turma do nível intermédio (B1). Muito obrigado a ela pelo contributo. Deixamos no fim uma música do Fausto, músico citado no texto.

Desde menina o meu irmão e eu partilhamos quarto, pelo que, quando pude escolher um para mim sozinha pareceu-me fantástico poder ter uma cama de casal. Era uma cama de ferro verde, simulando as camas antiguas, com bolas douradas na cabeceira e nos pés. O edredão tinha também tons verdes e a mesa de cabeceira era de madeira como o candeeiro.

 A secretária era o dobro da que tinha antes, e com cadeira giratória. Que contente estava!

Apoderei-me da aparelhagem de música, e dançava e cantava fechada no meu quarto todo o tempo que podia. Foi então quando tivemos que chegar ao acordo de chamar antes de entrar no meu formoso quarto.

 Eu pegava nos discos e nas cassetes que o meu irmão tinha no seu quarto(aproveitando que ele estudava fora e só vinha ao fim de semana), pelo que escutava tanto Janis Joplin, como "Fuxan os Ventos","Kortatu",Fausto ou Janis Ian. Suponho que sentia adoração pelo meu irmão.

Lembro um póster enorme duma árvore que tinha caras escondidas, de tal forma que sempre descobrias uma nova. Gostava tanto que o mandei emoldurar.
Assim era o meu quarto na adolescência. O meu furadinho próprio.

N.G.C.


quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Lembretes de escrita: alguns tropeços que dão nas vistas no B1

Acabei de dar corrigir os vossos primeiros trabalhos. Eis algumas pequenas armadilhas que se podem ultrapassar com um bocado de atenção. Verifiquem antes de entregar os vossos próximos trabalhos escritos: 

- Quero-te, espero-te, vemo-nos, disseram-lhes, etc. Os pronomes devem ir separados com hífen. 

- Dizer, perceber, cócegas, cidade, ziguezague, etc. Ç nunca é seguido de e, i. Apenas pode ser usado com O,U, A (As vogais de Portugal)

- Combinei com a Joana, com o Pedro, com os meus amigos: aqui não há contração!

 - Quando, Qual, Quanto, Qualquer

- Há que diferenciar entre mas e mais

Hoje não vos chateio mais, mas logo volto com mais lembretes!

 


domingo, 4 de outubro de 2015

Teia portugesa

Acabei de deparar-me com este site, que tem muitas atividades para fazer em aulas de português e para autoaprendizagem. É feito no Canadá, onde há um importante comunidade portuguesa e doutros países lusófonos.





quarta-feira, 29 de abril de 2015

Vídeos de escolas de condução

Hoje continuaremos a trabalhar a condução nas aulas. Eis alguns vídeos para treinarem a atividade que realizaremos. Com um bocado de paciência, os vídeos dão para aprender expressões relacionadas com a condução. É pena o volume ser um bocado baixo de mais. 






segunda-feira, 16 de março de 2015

Picasso e os computadores

O que acham desta frase do Picasso? Concordam? Em que acham que poderia esta a pensar o Picasso quando disse isto? Pensam que a ideia continua a fazer sentido?

Animo-vos a deixar um breve comentário no blogue com a vossa opinião sobre o assunto.